sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

ESCREVER OU NÃO ESCREVER UM POEMA DE NATAL de Susana Custódio




ESCREVER OU NÃO ESCREVER UM POEMA DE NATAL

O que poderá escrever-se num poema de Natal
Que outros poetas já não tenham escrito?
São sempre as mesmas palavras
Que jorram no mesmo caudal
Papel brilhante, laços coloridos
Ruas enfeitadas, luzes multicores que piscam
Musicas de grandes compositores
Que aos meus ouvidos soam como um grito
Mas afinal o que poderá escrever-se num poema de Natal?
Que outros poetas já não tenham escrito?
Os ricos têm mesa farta, nada lá falta
Os pobres têm o que podem
E outros nem têm um abrigo,
Também existem os que estão doentes
Lembrando Natais de tempos já idos
Mas afinal o que poderá escrever-se de novo num poema de Natal?
Proponho então celebrar a data de nascimento
Desse Menino que afinal só queria ensinar-nos
O verbo Amar em todos os seus tempos
E não só agora neste dia mas em todos os dias
Por isso vos proponho que na mesa
Onde todos nos reunimos
Comemos, bebemos e rimos
Nos lembremos d ’Ele
Que esta festa é em sua memória
Para isso vos convido a colocarmos
Nessa mesa uma cadeira vazia
E se alguém nessa noite tocar à nossa porta
A convidemos a entrar e à mesa se sentar
Nunca saberemos se por acaso
Jesus nos virá visitar
E connosco quererá o seu aniversário celebrar.


Susana Custódio

Sintra - Portugal - Dezembro de 2014

Nenhum comentário: