domingo, 27 de janeiro de 2013

PASSARINHO POETA - Eugénio de Sá; PASSARINHO MENSAGEIRO - Dioni Fernandes & MENSAGEM DE PASSARINHO - António Barroso (Tiago)

Passarinho poeta
Eugénio de Sá

O Ledo passarinho que esvoaça
Junto à minha janela pla manhã

Parece querer dizer-me em seu afã
Que é diferente aos demais da sua raça

Quem sabe se é alguém que eu conheci
E que voltou à vida convertido
Alguém que admiro e me é querido
Talvez algum poeta dos que eu li…

E que no coração inda transporte
Todo o lirismo que o faz gorgear
Servindo-se do sol como suporte

Parece que um poema quer trautear
Saltitando no seu minúsculo porte
Em busca de sustento a debicar

Sintra – Janeiro – 2013
Formatação
AugustaBS -Brasil
Sintra – Janeiro - 2013
Formatação
AugustaBS -Brasil 




Este passarinho de bela raça,
Que à tua janela gorjeia,

Te acorda bicando a vidraça
E com lindo canto te homenageia,

É o amor que bate ao teu coração,
Pedindo guarida, quente ninho,
Num impulso sublime de grande paixão
De alguém que te era muito querido.

Traz no coração, d'outras vidas, a saudade
Dos momentos vividos com felicidade
De ter os teus carinhos, simplesmente.

Tece um poema em seus gorjeios, contente,
Que faz efeito no teu ser que, sem falsidade,
Abre o coração e deixa plantar, de novo, a semente





Para o meu querido amigo e nobre poeta, que muito admiro, o meu carinho.
Di Virtuoso.

Arte e Formatação:
AugustaBS




Mensagem de passarinho

António Barroso (Tiago)

- Sou eu, sou eu – gritou o passarinho,
Aquele que tu leste, inda criança,
Camões, com seus sonetos de esperança,
Pessoa, olhando as pedras do caminho.

Florbela, triste e só, sem um carinho,
Bocage, improvisando, p’las vielas,
Sou quem enalteceu, em frases belas,
A glória de Albuquerque e de Mouzinho.

Mas é, p’ra ti, o meu cantar de agora
E, no meu gorgear, vê tu que aflora
Uma mensagem simples, bem discreta,

Porque, mais tarde, irei falar de ti
Dizendo, aos vindouros, que já vivi
Certa manhã, cantando a um poeta.

Lagos – Portugal  (23/05/2013)



OS PARDAIS DE CONQUISTA


Pela manhã já bem cedinho, a bruma
Nem se desfez…cidade adormecida
E o alarido dos pardais convida
A cada qual seu labor assuma.

Aos poucos deixam a noturnal guarida
E cada bando em revoada ruma
Para os seveiros dos quintais. Nenhuma
Hora do dia lhes será perdida.

E quando se recolhe à tardinha
No aconchego do galho em que se aninha
A pardoca, feliz, com seu pardal,

Ensina ao mundo quanto vale um dia
De trabalho, de luta, de harmonia,
No sinergismo de um feliz casal!...

Ernane Gusmão


Brasil - 1 Fevereiro 2014

7 comentários:

Emmanuel Almeida disse...

O desejo do retorno de alguém amado vem asas do tempo que abraça!

Fernanda disse...

Deixa-nos profunda mensagem! Abraços.

Fernanda disse...

Leva-nos a uma grande reflexão. Abraços.

Dioni disse...

Queridos Amigos!

Feliz com o carinho.
Obrigada de coração!
Bjoks carinhosas
da Di Virtuoso

Beki Bassan disse...

Como é gostoso vir aqui visitar este blog tão atraente. Este poema do Poeta Eugênio já tinha lido e apreciado bastante e agora em dueto
com a minha amada Dioni ficou mais bonito ainda.
Parabéns aos dois poetas!
Com carinho,
Beki

Regina Coeli Rebelo Rocha disse...

Aos poetas Dioni e Eugénio desejo
que a sua parceria em versos voe no espaço... bonita, terna, fraterna... E ao sabor das ondas da poesia onde hoje surfam maravilhosos passarinhos, os textos dos amigos possam sempre se abraçar na realidade fulgurante de um dueto. Aplausos e parabéns.

Regina Coeli/RJ, 31-05-2013.

Ulli disse...

Que felicidade sinto nesta tarde de domingo. É um presente dos três poetas ao leitor. Obrigada, Eugênio, meu mais novo amigo do outro lado do Oceano Atlântico. Obrigada Dioni, e obrigada António Barroso. Deixo meu abraço carinhoso aos três. A você, querida Susana, meu abraços muito especial. Beijinhos, Hull