segunda-feira, 29 de abril de 2013

DUETO ( IN MEMORIAM ) < Martinez & Eugénio de Sá - O Milagre da Praça... >




O MILAGRE DA PRAÇA...

José Geraldo Martinez

Pombinhas da praça São João
distraem o olhar do menino...
Daquelas vizinhanças, por certo!
Perdido entre elas,
assusta-se ao tocar dos sinos!

Todos os dias era assim,
ficava ali observando...
O tempo lhe era generoso!
Até que, ao seu redor,
todas fossem se juntando.

Tratava-as com carinho,
apesar do vigário!
Sujavam as escadarias da igreja,
para o azar de padre Olegário!

Engraçado! Num dia que ninguém esperava...
Ele abriu os braços todo contente e,
às vistas de toda aquela gente,
o garoto com elas voava!

Sobrevoa a igreja, levita
ao céu de puro azul...
Ao olhar das incrédulas pessoas!
Junto ao bando, qual anjo...
O menino voa!

Até sumir nas alturas do céu sem fim...
Neste instante, rompe a chuva
por sobre a cidade,
abrindo um arco-íris em leque multicor,
trazendo o vento com cheiro de jasmins!

O que não sabiam todos
era o que havia sucedido:
um dia antes do fato - acreditem -
o menino havia morrido!


"Para estarmos ao lado do Pai,
não é preciso bagagem alguma,
apenas termos a alma pura de uma criança."

(José Geraldo)
Brasil – 2007



O Milagre da Praça

(Eugénio de Sá responde
ao seu amigo José Geraldo Martinez)


Um anjo, aquele menino dessa praça
que as mansas pombinhas recebiam
e voando com ele todas queriam
ganhar de Deus essa suprema graça:

A graça que dos céus é recebida
p'los seres que deste mundo tão perdido
sabem dar-se a si próprios um sentido
que casto, dê sentido às suas vidas

E essa alminha que Deus mostrou ser Sua
e ergueu nos ares com as mansas pombinhas
vestiu de luz as outras almas nuas

Dela ficou perfume de jasmim
a pairar na Praça de São João
porque o odor do amor é mesmo assim.

Brasil – 2007


       Arte: Lina P. Salatino


3 comentários:

Jorge Humberto disse...

Parabéns, a todos, pelo excelente trabalho, desempenhado neste Blog... sua divulgação e manutenção, a todos sem exceção.

Muita força... jamais se calará a voz do poeta!

Um abraço bem forte!
Humildemente, Jorge Humberto

Jorge Humberto disse...

Parabéns, a todos, pelo excelente trabalho, desempenhado neste Blog... sua divulgação e manutenção, a todos sem exceção.

Muita força... jamais se calará a voz do poeta!

Um abraço bem forte!
Humildemente, Jorge Humberto

Regina Coeli/RJ disse...

Poeta Eugénio,

Quantos eram os poetas?
Se dois eram ontem os poetas
Atentos à voz da praça
E agora só vendo um,
É que o outro era o menino...
Aquele que com as pombinhas
Foi voar nos Céus, bem alto,
Deixando cair os versos
De ternura e exaltação,
De amor e intenso lirismo
Sobre a gente que ficou
Cheio o peito de saudade
Na rima que desandou.

Abraços, poeta Eugénio.
Abraços, poeta Martinez.
O poeta vive nas suas obras.

Com carinho e admiração,
Regina Coeli/RJ.