domingo, 13 de janeiro de 2008

DESAPEGO um poema de Susana Custódio





DESAPEGO
 

(Susana Custódio) 


É este não saber o que quero,
Que me amargura,
Que me dá este desassossego
Que me persegue e em mim perdura
A vontade de tudo querer
 E logo este desapego!

Esta vontade não sei de quê, é dura!
Sinto o meu peito em chaga…
Eu queria tanto um amor doçura,
Esta falta que sinto me esmaga…

Todo o meu ser é confusão,
Quero pensar e não me compreendo…
Toda esta vida é uma ilusão
Só eu sei como estou sofrendo!

Ah! Seu eu tivesse alguém a quem beijar,
Que me tirasse este desejo,
Esta ânsia de amar!
Eu daria a minha vida por esse beijo



Poema escrito em : 1969

Sintra - Portugal -  Janeiro 2008





2 comentários:

Mayte Dalianegra disse...

Por un beso, qué no se daría por un beso, con ese ansia de amar...

Muy hermoso tu poema, querida Susana, me ha encantado.

Un gran abrazo, Poeta.

Bernadete disse...

Desapego.
Vida descrita, me identifiquei neste momento com essa poesia, lágrimas rolam em saber que a pessoa que amamos se vai, mostra-se indiferente, e esse maldito amor, amor que cresce e não encontra a boca do amado para beijar, por que somos iludidas e enganadas? somos obrigadas a sufocar a mais bela flor, para buscar espaço para voltar a viver.