sábado, 26 de janeiro de 2008

O VENTO QUE TE TROUXE QUE TE LEVE - Acróstico de Susana Custódio

 


  
 O VENTO QUE TE TROUXE QUE TE LEVE  - Acróstico

(Susana Custódio)



O amor de um fidalgo

V eio até mim...pensei algo
E ntusiasmada pelo prazer.
N
um momento de galanteio
T ive sonho, devaneio...
O melhor que pode acontecer

Q uimeras! Quem as não tem...
U ma atracção por alguém
E mbala-nos nesse caminho.

T
udo! Quando não há mais ninguém 
E mperrando o nosso carinho.

T rocámos afecto, fantasias
R epetindo todos os dias
O bem que repartimos.
U ns espaços de ternura
X aile na sua cobertura
E ncobre-nos todos os mimos.

Q uando alguém quebra a promessa...
U ma facada na amizade
E
noja-nos, é falsidade...
 

T emos então a nossa pressa
E m voltar à liberdade.

L eva para longe esse teu feitio
E nvolve-o com todo o jeito,
V ive bem esse desafio
E ncontrando alguém perfeito.





Sintra – Janeiro de 2008



3 comentários:

A. João Soares disse...

Parece normal e saudável gostar-se de um galanteio. Mas agora, com os caprichos dos políticos, há o perigo de, em vez de galanteio, se dizer piropo e esse passará a ser crime por vontade ou capricho dos pulhíticos.

Beijo
João

A. João Soares disse...

Parece normal e saudável gostar-se de um galanteio. Mas agora, com os caprichos dos políticos, há o perigo de, em vez de galanteio, se dizer piropo e esse passará a ser crime por vontade ou capricho dos pulhíticos.

Beijo
João

Mayte Dalianegra disse...

Qué original poema, Susana, me parece muy hermoso y divertido este poema cuyos versos comienzan con ese acróstico. No es bueno quebrar las promesas, y el poema da buena cuenta de ello.
Mis felicitaciones para Eugénio y para ti, Susana.
¡Ah! Conozco Sintra, estuve allí hace 14 años, y me pareción un lugar maravilloso. Lisboa es una de las ciudades más bonitas de la Tierra, y Sintra es su lugar más precioso.
Besos y buena semana. Comparto el poema.