domingo, 13 de janeiro de 2008

QUANDO um poema de Susana Custódio






Quando



(Susana Custódio)

  Naquele jardim, te afastaste
E já longe gritaste!
Corre para mim...
Eu, louca fui correndo,
Abriste os teus braços...me agarraste...
Rodopiando num louco frenesim!

Quando
Naquele barco
Que lento ia cortando as águas do Sado,
Com a tua viola...
Dedilhando nas cordas "Les feuilles Mortes”
E a tua voz grave cantava a doce melodia!!!
Esquecemo-nos de tudo e de todos,
E de olhos nos olhos eu te ouvia...
Amando-te cada vez mais!!!Quando
Nas dunas da praia nos deitámos
E nos amámos,
Entre beijos, carícias e gemidos!!!
 
Quando
Hoje olho para ti...
A saudade me invade...
EU continuo a ser EU!
E TU já não és TU!
És a sombra daquele,Quando
No jardim...
No barco...
Nas dunas...
Me amaste!!!

Um poema escrito em 1998


Sintra - Portugal - Janeiro de 2008


PARA OUVIR O POEMA DECLAMADO NA VOZ DE SUSANA CUSTÓDIO
 

3 comentários:

Elmo Wyse Rodrigues disse...

Mas Susana, continuas maravilhosa. Eu li o poema e depois ouvi a tua voz, tua sublime voz. Parabéns.

Marinela disse...

Delicado y apasionado poema Susana
Besos

Marinela

Paula Ameijenda Garrido disse...

Aqueles recordos que sempre quedan na nosa mente!Moi fermoso.Saúdos