sábado, 8 de junho de 2013

DUETO " Mil e um poemas " de Susana Custódio & " O Amor que o tempo suspendeu " de Eugénio de Sá


MIL E UM POEMAS

(Susana Custódio)

Com esta min’alma plena de inspiração
Mil e um poemas ternos, cheios de amor

Pra ti escrevi com a mais doce emoção

Palavras sentidas com um extremo ardor



Descrever o amor era a minha intenção

Em mil e um poemas com cheiros de flôr

Eu só queria conquistar o teu coração

E arrancar p’ra sempre esta teimosa dor


Vem depressa, eu te peço que venhas

Com teu carinho brindar o meu jardim

Já que o enxergas do cimo das montanhas

Já que o vês verdejante, mesmo assim



Vem, e eu confessarei o meu amor por ti

Ouvirás a minha terna voz até adormecer

Murmurada em meus lábios, como um colibri

Solfejada num hino que acabei de escrever

O AMOR QUE O TEMPO SUSPENDEU

(Eugénio de Sá)

Irei pairando sobre o mar imenso

Tendo por companhia uma veloz gaivota

Ouvi o teu poema e esse amor intenso

Ajudou-me a traçar tão longa rota



Bastou um d’entre os mil anunciados,

Um poema somente, e nada mais

Pra que o meu coração fosse guiado

Na direcção do teu e dos teus ais



Pedirei a um anjo as suas grandes asas

E já estarei no ar daqui a pouco

Deixarei para trás gentes e casas

Cruzando os ares voando como um louco



Depois eu te ouvirei em longa confissão

Enquanto tu, amor, quiseres que eu

Conheça a tua terna submissão 

A este amor que o tempo suspendeu
  
Portugal

2012
Formatação:




http://www.avspe.org/index.php
VÍDEO EM NOVA VERSÃO PELO AMIGO DORIVAL CAMPANELLE


 Ver vídeo com uma bela formatação de Dorival Campanelle



2 comentários:

Maria Irene Marques disse...

Muito lindo e sensual!

Tiago (António Barroso) disse...

Há, nas duas confissões de amor, uma espera que parece quase terminada. Um querer tão intenso merece pois, uma feliz concretização.
Poemas lindos.
Abraços
Tiago