domingo, 24 de novembro de 2013

MARIA DAS FLORES um poema inédito de Eugénio de Sá

Maria das flores

Eugénio de Sá


Guardo no coração todas as flores
que a tua ilusão foi colocando
e assim vou colorindo de mil cores
esta alegria de te estar amando

E essas dores que dizes que terei
já não as guardo em mim tão veementes
porque sei que me amas e que sentes
hoje por mim aquilo com que sonhei

E os sonhos que guardei entristecido
no baú deles repleto e envelhecido
são agora verdades gloriosas

Maria apiedou-se dos que a vida
havia separado, e deu guarida
no seu regaço, entre jasmins e rosas


Sintra - Portugal - Novembro 2013

4 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

Comovente ler esse belo Soneto do Mestre Eugénio Sá!
PARABÉNS!
Efigenia Coutinho

Unknown disse...

UM ENCANTO DE POEMA AMIGO EU...GÉNIO. A POESIA É A LINGUAGEM DO AMOR...GOSTÁMOS!!!PARABÉNS!!!
UM ABRAÇO DO HUMBERTO E TODO O MEU CARINHO MARGARIDA

Unknown disse...

Meus aplausos,sempre, mestre. Bendita inspiração! Abraços.

Maria Irene Marques disse...

Amor, o eterno tema, de novo magistralmente louvado pelo nosso querido Eugénio de Sá.